União da Juventude Socialista – Site em Construção

www.ujs.org.br

Brasileiros solidários com Cuba após furacões

Posted by ujsujs em outubro 6, 2008

 

Os cubanos que vivem no Brasil, reunidos com outras entidades no Clube de Engenharia na última segunda-feira (29), lançaram uma ampla campanha de ajuda humanitária a Cuba, face à destruição causada pelos furacões Gustav e Ike.  A campanha será lançada no Rio, no próximo dia 10, em local a ser definido. 

A campanha tomou como título uma frase de José Martí, herói nacional em Cuba: ”Com o amor renasce a esperança”. Para um país que já sofre as conseqüências do bloqueio econômico imposto pelos Estados Unidos, o momento atual é de enormes dificuldades.

Os prejuízos são calculados em US$ 5 milhões. Cerca de 3 milhões de pessoas, quase um quarto da população, teve que abandonar suas casas. Os furacões danificaram 470 mil prédios e derrubaram 168 mil.

Em menos de 10 dias, a ilha foi devastada por dois furacões. O Gustav atingiu a parte oeste de Cuba no dia 30 de agosto, movendo-se para noroeste e chegando ao sul do Golfo do México. Em 9 de setembro o Ike chegou à capital cubana, Havana, trazendo chuvas e ventos.

O Gustav e o Ilke cruzaram a ilha furiosamente. Arrasaram a agricultura, casas, escolas, hospitais. A rede elétrica foi destruída. Da safra de açúcar, sobrou um terço. Morreram sete pessoas – o que para Cuba é muito, pois o país é mundialmente conhecido pela eficácia de seus planos de evacuação em caso de catástrofes naturais.

A campanha aposta no espírito solidário do povo brasileiro, que sempre teve grande afinidade e simpatia pelo povo cubano. Além disso, vivem no Brasil cerca de 2.500 cubanos, muitos deles médicos, em programas de intercâmbio.
 
A ajuda poderá ser prestada de várias formas:
 
1) Captação de recursos financeiros junto a pessoas físicas e jurídicas, por meio de depósitos em contas bancárias a serem criadas com esse objetivo;

2) Doação de alimentos não perecíveis e de medicamentos, assim que forem definidos os locais de armazenamento e procedimentos de envio a Cuba;

3) Artigos de primeira necessidade que serão especificados durante a campanha.

Para estimular a participação foi criada uma página na internet – http://www.porcuba.com.br. Os interessados terão acesso a todos os passos  da campanha, com informações sobre os recursos financeiros captados e materiais doados. O endereço eletrônico para contato é porcuba@porcuba.com.br.
A União de Jornalistas de Cuba (Upec) solicita a colaboração dos jornalistas e comunicadores brasileiros.

Os coordenadores da campanha pretendem que as contribuições materiais cheguem aos lugares mais necessitados de Cuba, contando com o apoio das autoridades dos dois países, para alcançar seus objetivos. Você também pode contribuir, difundindo desde já essas informações. 

Fonte: Portal Vermelho

Posted in Soldariedade Internacional | Leave a Comment »

Esquerda convoca jornada nacional de protesto no Peru

Posted by ujsujs em outubro 6, 2008

Uma frente de organizações sociais e políticas de esquerda confirmou a realização, na terça-feira (8), de uma jornada nacional de protesto, enquanto o governo começou a mobilizar as forças armadas.

O presidente da Confederação Geral de Trabalhadores (CGTP), Mario Huamán, disse que a jornada exigirá uma mudança de rumo da política econômica neoliberal vigente no Peru desde 1992, bem como na política social e na ética do governo.

Informou que a jornada consistirá em marchas de descontentamento em Lima e outras cidades, bem como algumas greves gerais em regiões como Arequipa, Cusco e Ica, no sul, bem como a selvática do Amazonas.

Advertiu que as organizações populares apelarão a medidas mais drásticas se suas demandas não forem atendidas pelo governo e recordou a crescente desaprovação deste, reportada por diversas pesquisas.

O executivo previu o fracasso do protesto e o premiê, Jorge del Castillo, disse que não está preocupado com a greve nacional convocada pela CGTP, ante a qual esta o acusou de pretender confundir a cidadania porque não há nenhuma paralisação nacional convocada.

Ao recusar as acusações de violência lançadas pelo governo contra a coordenadora que convoca ao protesto, Huamán disse que o principal fator desestabilizador é o executivo, por descumprir promessas e compromissos, não atender as demandas sociais nem os pedidos de diálogo.

Enquanto isso o governo recebeu críticas por haver dito que as forças armadas devem apoiar a polícia para manter a ordem amanhã, o que inclui ações prévias e posteriores dos militares.

“Ao invés de dialogar, o regime responde às demandas sociais com repressão”, comentou Huamán, que considerou essa atitude ditatorial.

O dirigente assinalou que as organizações sociais não se deixarão amedrontar pelas tropas e disse que o uso desta evidência o fracasso da tentativa governamental de minimizar o protesto de amanhã.

O presidente da Frente de Defesa da região sul andina de Cusco, Efraín Yépez, disse que o deslocamento militar é uma provocação de efeitos imprevisíveis.

O ministro de Defesa, Ántero Flores, sustentou que a medida é normal e o ex-titular do Interior Fernando Rospigliosi asseverou que o uso de tropas é uma medida “negativa, perigosa e desnecessária”.

Fonte: Prensa Latina

Posted in América Latina | Leave a Comment »

Relatório parcial acusa criminalização dos movimentos sociais do RS

Posted by ujsujs em outubro 2, 2008

Para a UNE, é inadmissível que em um Estado democrático, o movimento social seja reprimidoA Comissão Especial do Conselho de Defesa à Pessoa Humana (CDDPH), órgão ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, divulgou nesta terça-feira (30) o relatório parcial sobre os trabalhos na apuração de “tentativas de criminalização de movimentos sociais, a partir de iniciativas do Ministério Público Estadual, decisões do Poder Judiciário Gaúcho e ações da Brigada Militar do Rio Grande do Sul”.

“A política de repressão do governo Yeda Cruisius é expressa pelas ações da Brigada Militar que tem reprimido violentamente, manifestações dos trabalhadores organizados”, avalia o diretor de Movimentos Sociais da UNE, Juliano Medeiros.

O trabalho já aponta propostas para que se garanta “o respeito aos direitos civis e às liberdades públicas” no estado gaúcho. Dentre as principais propostas, o conselho irá cobrar do Ministério Público Estadual a apresentação de Ação Direta de Inconstitucionalidade, além de sua total revogação, da Nota de Instrução n° 006.1, divulgada pelo advogado Leandro Scalabrin.

O documento, entregue a todos os comandos do interior gaúcho e da Capital, normatizaria os procedimentos da corporação em relação aos movimentos sociais. Pelo texto, os policiais devem fazer a identificação dos integrantes dos movimentos, o monitoramento de suas sedes, evitar protestos e ocupações e, quando for preciso, usar a força.

Para a presidente da UNE, Lúcia Stumpf, a criminalização dos movimentos sociais opera um movimento de deslegitimação dos sujeitos coletivos, querendo igualar ao crime manifestações em defesa da educação ou pelo direito à terra.

Segundo Scalabrin, o documento seria a prova oficial de que a criminalização dos movimentos sociais é uma política do governo de Yeda Crusius (PSDB). “Mantém-se um cadastro atualizado dos movimentos sociais. Essa normativa, somente no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e entre as mulheres camponesas já resultou em uma lista de mais de 500 pessoas fichadas, com as supostas lideranças identificadas, com fotos, tal como fazia o DOPS na Ditadura Militar”, afirmou.

“A UNE tem sido, de longa data, aliada dos demais movimentos sociais na luta por um Brasil livre e soberano. É inadmissível que em um Estado democrático, o movimento social seja reprimido, fato agravado aqui no Rio Grande do Sul pela violência da polícia contra os trabalhadores”, reitera Juliano.

O relatório também sugere que a Brigada Militar suspenda imediatamente o processo de fichamento e cadastramento de lideranças dos movimentos sociais do Estado, pede a criação do Conselho Estadual dos Direitos Humanos e a recomendação de que a Brigada adote o Manual de Diretrizes Nacionais para Execução de Mandatos Judiciais de Manutenção e Reintegração de Posse, da Ouvidoria Agrária Nacional. A criação de Promotorias, Varas, Defensorias e Polícia Militar especializadas na questão agrária também foram pedidas.

Segundo o deputado Adão Pretto, presidente da Comissão de Legislação Participativa e integrante da comissão especial, espera-se que as sugestões e encaminhamentos sejam rapidamente acolhidos pelos órgãos competentes. “O Rio Grande do Sul não pode permanecer nesse estado de repressão extrema a qualquer movimento que ouse a contestar ações do governo estadual ou Reforma Agrária. É preciso providências para que a democracia e os direitos humanos sejam respeitados”, disse.

A Comissão Especial do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana foi criada e aprovada no dia 12 de agosto deste ano com a missão de diagnosticar e produzir uma análise a respeito da atuação da Brigada Militar Gaúcha em situações que envolvem movimentos campesinos, sindicatos de classe, estudantes, dentre outros setores sociais. O relatório final deve ser apresentado em 180 dias, a serem contatos da data da aprovação da comissão. Para ler o relatório completo acesse o link: http://www.ptnacamara.org.br/fotos_diarias/setembro/relatorio.pdf

 Fonte: www.une.org.br

 

Posted in Juventude | Leave a Comment »

Site em Construção

Posted by ujsujs em setembro 28, 2008

Enquanto o nosso site está sendo construído vocês podem visualizar as notícias através deste blog.

Não é necessário que copie e guarde este endereço nos favoritos do seu computador, basta continuar acessando o endereço do site que ele irá redirecionar para esta página.

🙂

Posted in Juventude | Leave a Comment »

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.